31/08/2009

fale com Ele

"Quando você rezar, não deixe de revelar nada a Deus. Abra seu coração com honestidade, como se estivesse falando com seu melhor amigo."
(Rebbe Nachman)

os feios tb falam!

"Quando for falar em público, faça uma cara agradável. Não, não é questão de ser 'feio' ou 'bonito'! Os feios também falam! Eu sou a prova disso! Tô falando pra você ser gentil, sorrir etc"
(Miotello, aconselhando os pupilos, na aula de mestrado)

29/08/2009

fase dona de casa

Estava surfando na página do Compra Fácil pra escolher produtos pra trocar pelos meus pontos do cartão de crédito.
Cheguei à conclusão de que estou numa fase de querer ter minha própria casa: me interessei muito mais pelo artigos de casa (UD, eletrodomésticos etc) do que pelos artigos de informática e afins.
Impressionante como a gente tem fases nessa vida.
Será que passa?

EUA

"(...)E que figura trágica é a nação americana. Sabemos que se trata do maior país do mundo, e do mais forte, e do mais culto. Afirma-se: - "É o único país moderno do século XX". Tudo isso está mais do que sabido e confirmado. E, no entanto, não há ninguém mais derrotado na Terra.
(...)Já disse não sei quem (talvez eu mesmo) que os Estados Unidos têm medo de tudo e mais ainda da própria força.(...)"
(Nelson Rodrigues em A chanchada histórica, 18/11/1971)

27/08/2009

Sobre a Vírgula

Pra quem acha (e, acreditem, tem quem ache!!) que é só 'frescura' usar a vírgula corretamente, preste bem atenção.
 
 
Sobre a Vírgula

Muito legal a campanha dos 100 anos da ABI (Associação Brasileira de Imprensa).



Vírgula pode ser uma pausa... ou não.
Não, espere.
Não espere.

Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.

Pode ser autoritária.
Aceito, obrigado.
Aceito obrigado.

Pode criar heróis.
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

E vilões.
Esse, juiz, é corrupto.
Esse juiz é corrupto...

Ela pode ser a solução.

Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.

A vírgula pode condenar ou salvar.

Não tenha clemência!
Não, tenha clemência!

Uma vírgula muda tudo.


ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.

Detalhes Adicionais


SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.

Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER.
Se você for homem, colocou a vírgula depois de TEM. 






 
 

Leonardo Boff e o Dalai Lama

Leonardo Boff e o Dalai Lama

Breve diálogo entre o teólogo brasileiro Leonardo Boff e o Dalai Lama.
Leonardo Boff explica:

"No intervalo de uma mesa-redonda sobre religião e paz entre os povos, na qual ambos (eu e o Dalai Lama) participávamos, eu, maliciosamente, mas também com interesse teológico, lhe perguntei em meu inglês capenga:
- "Santidade, qual é a melhor religião?" (Your holiness, what`s the best religion?)
Esperava que ele dissesse: "É o budismo tibetano" ou "São as religiões orientais, muito mais antigas do que o cristianismo."
O Dalai Lama fez uma pequena pausa, deu um sorriso, me olhou bem nos olhos
- o que me desconcertou um pouco, por que eu sabia da malícia contida na pergunta - e afirmou:
"A melhor religião é a que mais te aproxima de Deus, do Infinito".É aquela que te faz melhor."
Para sair da perplexidade diante de tão sábia resposta, voltei a perguntar:
- "O que me faz melhor?"
Respondeu ele:
-"Aquilo que te faz mais compassivo" (e aí senti a ressonância tibetana, budista,
taoísta de sua resposta), aquilo que te faz mais sensível, mais desapegado,
mais amoroso, mais humanitário, mais responsável... Mais ético...
A religião que conseguir fazer isso de ti é a melhor religião..."
Calei, maravilhado, e até os dias de hoje estou ruminando sua resposta sábia e irrefutável...
Não me interessa amigo, a tua religião ou mesmo se tem ou não tem religião.
O que realmente importa é a tua conduta perante o teu semelhante, tua família, teu trabalho, tua comunidade, perante o mundo...
Lembremos:
"O Universo é o eco de nossas ações e nossos pensamentos".
A Lei da Ação e Reação não é exclusiva da Física. Ela está também nas relações humanas.
Se eu ajo com o bem, receberei o bem. Se ajo com o mal, receberei o mal.
Aquilo que nossos avós nos disseram é a mais pura verdade:
"terás sempre em dobro aquilo que desejares aos outros".

25/08/2009

desligue a TV

Hoje vi um post no twitter que era assim:
"Dado Dollabela milionário, Faustão emagrecendo e Rubinho campeão. Fujam para as montanhas!"

Vi isso porque um amigo meu deu um "RT" numa mensagem de alguém que eu não conheço.
Infelizmente eu não conheço, porque eu gostaria muitíssimo de aconselhar a essa pobre pessoa revoltada: ao invés de fugir para as montanhas, por que não simplesmente DESLIGAR a TV? Simples assim: aperte o botão "off" (que na minha opinião deveria simplesmente ser "botão liga/desliga", já que estamos no Brasil que, se não me engano, é um país que fala português! Mas isso é outra história!!), então, aperte o botão "off" e vá ser feliz. Vai ler um livro, brincar com seus filhos, conversar com sua mãe. Sai na calçada, acena pro vizinho da frente (você sabe o nome dele?)... Vai até a floricultura mais próxima, compra um pezinho de manacá e começa a cuidar dele. Vá ao cinema, ao teatro, à pracinha perto da sua casa. Passe pela Banca de Jornais e Revistas ou então pela livraria.
Se não quiser sair, fique na sua casa. Ligue o som e coloque uma música BOA. Feche os olhos e relaxe. Ou então cante junto com a música, dance...
Ligue pra um amigo, bata um longo papo. Ou combine de ir bater bapo num bar, num restaurante, numa sorveteria...
Você vai ver como a sua vida fluirá bem melhor. Você vai ver que é possível ser feliz bem aí, dentro de você mesma. Sem precisar ir pras montanhas.
E talvez você perceba que o que devemos mandar pras montanhas é toda essa gente fútil e inútil. E não nós mesmos.

Mídia e Democracia

As contradições do Congresso Nacional
Os professores da PUC do Rio Grande do Sul – Pedrinho Guareschi e Osvaldo Biz –
lembram, em seu livro Mídia & Democracia, que “A mídia no Brasil não é o quarto poder. É o primeiro, o que controla e subjuga os demais (...). A mídia, principalmente a eletrônica, constrói a realidade, impõe os valores, monta a pauta de discussão nacional e subjetiva as pessoas”.
O fato de a mídia impressa ser algo que se rege pelos princípios de uma empresa privada, não a isenta de responsabilidade social. Já a mídia eletrônica – rádio e televisão – é um serviço público. Ou seja, é uma concessão temporária, “não pode ter ‘donos’ e tem como tarefa essencial ser educativa, formar para a cidadania, sendo uma nova ágora, onde devem ser discutidos os grandes problemas nacionais”.
Contudo, o que se observa no Brasil é que tanto a mídia impressa como a eletrônica fogem, como o diabo da cruz, de toda e qualquer discussão que tenha como pauta definir os parâmetros de um controle social sobre elas. Mais que isso, demonizam quem tiver a petulância de chamá-las à responsabilidade. Neste contexto, como avançar no aprofundamento de conceitos como a democracia e a cidadania? Difícil!
Para se ter uma idéia do papel nefasto da mídia hegemônica no País, é só analisarmos este triste episódio que escancarou os bastidores do Congresso Nacional. Mas, para entendê-lo há que o fazer com critérios políticos – não moralistas, como insiste aquela mídia justamente para moldar a opinião pública, esconder a realidade e construir a (‘realidade’) que lhe interessa, como diriam os autores de Mídia & Democracia.
Pois bem, todos sabemos que o nosso Parlamento sempre funcionou assim. É só lembrar
que, durante o governo FHC, seu grande aliado no Congresso Nacional não foi outro senão ACM – o popular Toninho Malvadeza. O corporativismo – ontem como hoje – sempre funcionou, objetivando manter privilégios. Mas, quando ‘reinava’ o Príncipe da Sorbonne que, comprovadamente comprou a sua reeleição, rasgando a Constituição, a mídia não demonstrou tanto zelo assim na defesa da ética e da moralidade, como faz hoje.
Por quê? Simples! Por que a questão em tela é política, e a mídia defende seus interesses. E seu interesse, hoje, é desalojar o PT do poder, é destruir a candidatura Dilma Roussef e trazer de volta os tucanos para continuar com a tarefa ‘hercúlea’ de desmontar o Estado brasileiro para ficar mais fácil entregá-lo aos interesses externos. Que o diga a CPI da Petrobrás, de responsabilidade de
tucanos e ‘democratas’: querem entregar o pré-sal para os EUA; e os factóides que, dia e noite, eles criam no Congresso Nacional com o único objetivo de desgastar o governo Lula. Mas a mídia jura que o que ela quer mesmo é ajudar a moralizar o Congresso Nacional.
O Estadão, por exemplo, que sempre foi o maior porta-voz das oligarquias no Brasil, ostenta manchetes que dizem que o arquivamento das denúncias contra Sarney custará caro ao Parlamento ‘que insiste em sustentar oligarquias em detrimento da opinião popular’. E esculhamba com o presidente Lula por ele se preocupar em “preservar o Sarney”. Ou seja, uma análise baseada puramente na lógica formal e em critérios moralistas justamente para construir a ‘realidade’que lhe interessa.
Se este jornalão quisesse realmente diagnosticar o problema, teria de mostrar para seus leitores como se trava a luta política dentro do Congresso Nacional; como funciona nossa democracia do poder econômico; quem e como é eleito um representante para o Parlamento; como se constrói a governabilidade (que é imposta por essa mesma democracia – frágil e incipiente).
Trocando em miúdos: a imprensa faz todo este escarcéu porque quer passar a presidência do Congresso para as mãos do tucano Marconi Perilo, que responde por inúmeros processos em Goiás por irregularidades em sua administração quando governador.
E a presidência do Congresso, passando para as mãos dos tucanos, o que vai acontecer
mesmo, como num passo de mágica, é que a mídia vai parar de falar em moralização do
Parlamento. É assim, a luta pelo poder. Que ninguém se iluda.
(Emerson Leal – Doutor em Física Atômica e Molecular e vice-prefeito de São Carlos)

imbecil total

Todos os dias quando venho dirigindo pro trabalho, venho ouvindo o "Intersom Debates".
Todos os dias elevo minhas preces a Deus e humildemente peço que jamais permita que eu me torne uma perfeita idiota, uma anta de kichute como o tal do "Prof. Demarzo".
O cara consegue abrir a boca, no rádio, pra falar 100% de bobagens, de asneiras e de imbecilidades. É impressionante, não consegue falar absolutamente NADA que se salve.
As ideias são de jerico.
Os argumentos são de ostra.
Não sei como não tem vergonha.
E não sei o que é que a intersom deve pra ele pra permitir que ele fique lá, queimando a emissora, diariamente.
Acho que o papel de todo meio de comunicação deveria ser, primordialmente, o de INFORMAR. Em especial quando se trata de um programa de debates.
Mas aquela anta não consegue sequer se manter no tema proposto, só abre a boca pra falar borracha. É impressionante. É irritante.
Pronto, falei.

24/08/2009

estudar de novo

Eu fiquei super-hiper-mega-master-BLASTER-feliz-plus-advanced com a notícia de que um amigo meu pretende voltar aos estudos!!! Ele vai fazer um curso de graduação e está decidido a fazer em uma universidade pública!
Dou meu total e irrestrito apoio a ele! Parabéns, meu querido, você está certíssimo!
Quando ele me contou, pelo MSN, eu queria ter estado perto dele só pra dar um abraço bem forte nele, pessoalmente, e um aperto em cada bochechinha. hehe
Gente, eu sou da opinião de que as pessoas nunca deveriam parar de estudar.
E se pararam e ficaram um tempo sem estudar, sou da opinião que não tem idade pra voltar!
Sempre haverá um aperfeiçoamento a fazer, um conhecimento novo a buscar, uma nova habilidade a ser treinada...
Vamos todos buscar desenferrujar nossas cabeças! Porque cabeça parada é um berçário de Alzheimer!
E façam como esse meu amigo: se forem fazer graduação ou pós, busquem as universidades públicas! Pois eu acho um absurdo em uma cidade como São Carlos as pessoas já irem direto cursar uma faculdade particular sem ao menos tentarem um dos excelentes cursos públicos que temos aqui (e na região)!
Bom, já tá dado meu recado.
Parabéns àqueles todos que, como eu, decidiram arregaçar as mangas em 2009 e construir por si próprios um futuro muito mais rico verdadeiramente - porque conhecimento, meus amigos, é um tesouro que ninguém jamais conseguirá roubar da gente!

xixi

Ontem quando cheguei em casa, embaixo daquele toró, deixei meu guarda-chuva aberto na garagem, pra secar durante a noite.
E não é que um FDP de um gato fez xixi no meu guarda-chuva???
Fala sério! O pior de tudo é que já é a segunda vez que um gato me apronta isso.
Será que alguém pode tentar me explicar que graça teria fazer xixi no guarda-chuva de alguém?? Ah, francamente, viu!? Logo eu, que gosto tanto dos bichanos.

23/08/2009

eu também acho

Por isso que eu gosto do Nelson. Ele me entendia. É isso aí, gente! É exatamente isso!!
"(...) no cinema, como no romance, no teatro, como na novela, o problema do personagem é muito mais do espectador ou leitor do que do personagem. O personagem apenas finge, ao passo que o espectador sofre o impacto, o espectador vive a morte da heroína, até as duas últimas lágrimas de paixão e de vida. (...)"
(Nelson Rodrigues em Adeus à Sordidez, 17/07/1971)

22/08/2009

na balada do hormônio

Só pra constar: eu detesto esses picos hormonais que fazem a gente oscilar do ódio ao mundo e a si mesma à plenitude do bem estar em questão de segundos.
Eu nunca usei drogas (pelo menos não as ilícitas! rs) e por isso não acho justo ficar me sentindo mal desse jeito, assim, do nada.
Tem que ter um jeito de evitar isso. Tem que ter.
Serenidade, meu Deus. Serenidade. É isso que eu quero. Me dá? Amém.

angel dust

Sim, eu AMO espumantes!!!
Acho que os espumantes são o "must" das bebidas alcoólicas. Eles são de uma delicadeza gigantesca, desde o aroma até o sabor. Eles são chiques e ao mesmo tempo gostosos. Não é à toa que há séculos são os favoritos para comemorar acontecimentos marcantes. Toda grande conquista, todo grande marco merece um bom espumante. Felizmente o Brasil tem se tornado cada vez mais especialista neste tipo de vinho. Nosso clima é propício para garantir às uvas a acidez ideal para a produção dos espumantes. Isso tem garantido, ano a ano, prêmios e mais prêmios aos nossos bons vinhos dessa categoria. Torço para que os produtores continuem empenhados em se aprimorar cada vez mais. Isso garantirá que possamos, além de apreciar essas delícias com o orgulho de serem de nossa terrinha, fazermos bonito no mercado de vnhos mundo afora.
Agora, os champagnes são bárbaros... É impressionante como o peso da tradição faz a diferença... Dá um glamour todo especial à bebida. E a qualidade é indiscutível. Eu nunca provei nenhum champagne que não tivesse gostado (e já provei vários outros espumantes bem ruinzinhos mesmo!). Claro que também há aqueles champagnes que são verdadeiras obras de arte e que nós, pobres mortais, só teremos oportunidade de provar raríssimas vezes em nossas vidas - se tivermos!
Bom, toda essa "rasgação de seda" sobre os espumantes foi apenas para registrar que ontem, na noite especial do Spàzio (Adega Aberta em Comemoração ao Ano da França no Brasil) tivemos a oportunidade de provar uma maravilha do mundo dos espumantes. Quando provei foi amor à primeira vista. O maravilhoso Champagne Angel Dust Blanc de Blancs, extra dry, 100% Chardonnay. Fantástico! Já entrou na minha lista de favoritos pra sempre. O preço nem é proibitivo, pela qualidade do vinho vale muito a pena comemorar com ele. Aroma simplesmente delicioso e sabor indescritível. Perfeito! Só provando, mesmo, pra sentir na própria boca a explosão e a delicadeza dessa joia. Um brinde a essas oportunidades que temos de conhecer coisas que vamos apreciar pra sempre. Saúde!

21/08/2009

Carta sobre Marina Silva e o PT

Bom, agora ela já decidiu... Mas o texto é tão bom que merece ser publicado no blog. E lido por todo mundo.
 
 
 
Carta sobre Marina Silva e o PT
 
Um amigo muito querido escreveu-me recentemente indicando um poema e, ao fim da mensagem, fez uma observação: "Viu a movimentação da Marina? E se ela for realmente para o PV, e for candidata, como ficamos?"

Eu agradeci a indicação do poema, e respondi sua pergunta: "Pícaro, com Marina ou sem Marina, ficaremos onde sempre estivemos: no PT".

Marina Silva, militante histórica do PT e das questões ambientais, herdeira do petista Chico Mendes, Senadora pelo estado do Acre, ex-ministra do ambiente do governo Lula, parece que vai sair do seu atual partido para ser candidata a presidente da república pelo Partido Verde, em 2010.

Evidentemente, isso ocorre com frenesi em toda a mídia: uma militante emblemática do Partido dos Trabalhadores, reconhecida militante deserta e, como a onda é dar pau no Governo Lula, toda a mídia especula, dá espaço etc, etc.

Marina alega precisar de espaço para sonhar, quer mais utopia e outras coisas do gênero que acusa o PT de não mais contemplar.

Vai então para o Partido Verde.

Marina sempre foi para mim uma grande referência de militância e de dignidade, de luta. Mulher, negra, do povo da floresta, alfabetizada quando adolescente. Uma vez, com outro amigo, sonhei que ela seria a sucessora de Lula na presidência. Um perfil e tanto. Como eu sempre soube que na política nem sempre o melhor perfil o é de acordo com a hora e o momento político, esperei e guardei esta utopia no meu acervo de sonhos que esperam para amadurecer e para se tornarem realidades.

É verdade que o PT encara a dura e amarga dose de realidade, no governo de cidades, estados e a realidade do governo federal. O dia a dia do executivo joga duro com o espírito  inquieto de qualquer militante (de esquerda, lógico). A tarefa impossível de conseguir um remédio para uma criança que agoniza no colo da mãe que não tem emprego nem moradia, os planos pluri anuais, restrições orçamentárias, ordens hierárquicas, as demandas do executivo. Coisa de todo o tipo aparecem e nossos melhores quadros vão para as estruturas do estado para fazer aquilo que há muito tempo planejamos e lutamos: governar o país. (Eduardo Galeano diz que o "poder devora heróis e caga loucos").

Nesta empreitada são feitas muitas concessões, é verdade. Do crescimento desordenado, mandatos parlamentares e executivos que mandam demais, secundarização do diálogo com os movimentos sociais, ausência de formação política para os militantes que chegam etc.

Mas o PT é um lugar para sonhar e, sobretudo, para concretizar sonhos coletivos.

Eu mesmo sonho todo dia. Inclusive, debatendo política com alguém na padaria, no ponto de ônibus etc. pedem para que eu pare de sonhar, que o PT não é tudo isso. E dizem isto desde sei lá quando. Sempre a mesma ladainha: você idealiza demais. E eu, como todo petista, acho que idealizo demais mesmo, na medida exata do sonhador que gosta tanto do seu sonho que quer que ele se torne realidade.

Por exemplo, quando alguém me pergunta "onde é que se compra uma camiseta destas que você usa", parece que eu estou sonhando; quando um parente distante me conhece e confessa que sente orgulho de ter um "petista de carteirinha", parece que eu sonho; quando um grupo de alunos fez a campanha do candidato do PT, parecia que eu sonhava; quando alguém defende o Bolsa Família, o Projovem, o Prouni, o Luz Para Todos, o PAC, parece que eu estou sonhando. Mas é tudo realidade, uma maravilhosa realidade com a qual sonhamos e pela qual lutamos, coletivamente.

Quando alguém defende que Lula precisa de um terceiro mandato para fazer mais coisas boas para nosso povo, eu sonho. Mas Lula, o democrático Lula, serenamente não se deslumbrou com mais quatro anos de presidência. Escolheu - Lula escolheu, é verdade - Dilma para sucedê-lo. O PT defende Dilma e milhões de brasileiros já entenderam que Dilma é a candidata de Lula.

Marina será candidata pelo Partido Verde. Para quê? Para sonhar? Mas é possível sonhar num partido de direita e tão inexpressivo? Valha-me. Talvez algum assessor a tenha convencido que sua candidatura seja suficiente para alavancar uma questão tão nobre quanto a questão ambiental. Sendo ela quem é nunca iria aderir a esta idéia. Chico Mendes, quando sua morte era dada como certa, escreveu: "Se alguém descesse do céu e me garantisse que a minha morte fortaleceria minha luta, eu ofereceria minha vida tranquilamente. Mas a experiência mostra o contrário". Marina nunca cairia neste rompante personalista (não?).

Muitos acreditavam que o PT era um partido tático, que servira apenas a um curto período histórico para acumulação de forças. Quem assim acreditava saiu do PT: PSTU, PSOL e ainda creio que existam alguns que assim pensam. E o PT os acolhe, com as regras democráticas, com as tendências, as eleições diretas, os encontros, os congressos onde cada filiado vota.

Marina poderia analisar os ônus de sair do PT, que também podem ser grandes. Onde está Heloísa Helena: em franca decadência. E Cristóvam, onde está: todos nos cansamos dele já. Mesmo na vida de movimento estudantil, quando deitamos na frente dos ônibus para impedir o adiantamento da plenária final da UEE-SP, quantos abandonaram o barco para exclusivamente estudar, por precisar trabalhar, por se desiludir ou por mera vaidade?

Se Marina ficar, talvez seja o melhor (legítimo, inteligente) movimento para ela.

E na verdade, que se decida logo, pois já está ficando chato.

Indo, com quais outras armas Marina jogará? Ela tem grande experiência: Câmara dos Deputados, Senado, Governo Federal... Qual é o grande projeto de Marina no Governo? Qual foi o grande projeto dela como parlamentar? E no Partido, qual foi a grande sacada dela para dentro PT, um partido que por si só pauta grande parte da mídia? Qual foi a grande articulação dela dentro do Governo para passar um projeto ambiental (como o fez o Ministro Edson Santos com o Estatuto da Igualdade Racial que não foi aprovado por um erro localizado na bancada do PT)?

Ela acha que pode ser candidata a Presidente? Porque então não faz como Eduardo Suplicy fez e pediu prévias? O PT é assim: existem disputas internas legítimas e estatutárias. Nunca vi ninguém levando a cabo uma discussão sobre a candidatura de Marina Silva, parecia apenas uma tentativa de dar centralidade a questão ambiental.

Talvez Marina se creia maior que o PT e maior que o PV para aceitar a empreitada de fazer no verde o que julga não ter feito no partido do presidente da república.

Que Marina Silva tenha uma boa experiência no Partido Verde, melhor do que a que teve no partido que ajudou a construir e ao qual deve sua formação e sua história. Sim: Marina sai do PT com uma dívida que o Partido - o conjunto dos militantes - nunca vai cobrar. Talvez tenha um desempenho pífio nas eleições. Talvez atrapalhe a eleição da Dilma (já ouvi que José Serra cochicha com  Marina). Talvez seja eleita. Se eleita, que faça um governo melhor do que o do Presidente Lula, porque o povo brasileiro merece.

E a quem Marina se aliará? Ao PCdoB, ao PSB, PDT; ao PMDB? Ou ao PSDB, DEM, PPS e toda a direita, toda a direita à qual o PV convencionalmente alia-se país afora? E se Marina ganhar a Presidência? Vamos lá: quem será o partido que ajudará Marina no Congresso? Este congresso no qual a Senadora entrou muda e saiu calada? Por que a senadora não usou a tribuna contra o conservadorismo da Casa? Tão corajosa e sonhadora, estranhei sua ausência. Será mais fácil pensar em utopias ao lado da direita?

Marina Silva saiu do PT para ser candidata no campo da direita? E então?

Na campanha, espero que não faça o papel desonesto que Heloisa Helena já fez um dia. Poderá ser mais uma desilusão, mas nós, petistas não cessaremos de sonhar, de militar e de concretizar sonhos. Em cada militante que chega pela primeira vez no Partido, cada projeto aprovado, cada campanha salarial, cada nova turma formada de educação de jovens e adultos em cada ato de movimento popular.

Talvez alie-se justamente aos que hoje fazem de tudo para desestabilizar o governo mais democrático da história do Brasil. É com estes que é possível sonhar, Senadora Marina Silva?

Evidente que não. Evidente que jaz nesta movimentação um ranço de desgosto pessoal, muito íntimo que causa constrangimento em nós e até mesmo em vossa senhoria.

Mas vá sonhar com estes. Nós cá ficaremos, ao lado do milhão de filiados e dos milhões de petistas que aprovam o governo Lula e que sonham e que concretizam um país melhor no cotidiano de nossas lutas. Este é o nosso sonho.

E Marina é parte da realização deste sonho. Hoje, parece querer inscrever-se no roll dos que guardam rancores e se afastam para desferir golpes típicos de casamentos frustrados. Nós também nos frustramos com quem nos abandona. Mas este é o PT, aberto para quem está disposto/a a encontrar soluções coletivas para problemas dos que mais sofrem. Quem sonha com o socialismo para além de fórmulas prontas, que prefere debater à exaustão a seguir uma ordem cega. Quem quer construir o socialismo nos pormenores dos seus afazeres e de suas tarefas. Quem encara a construção de uma Escola Nacional de Formação Política para formar na primeira tacada 100 mil filiados; cuja juventude realiza uma Caravana pelo Brasil que rodou 23 estados, 70 cidades e mais de 17 mil quilômetros e agora entrará numa Campanha de Mobilização e Organização. É o partido que no Governo Federal realizou mais de 60 conferências nacionais, chamando a população e os movimentos sociais para discutir quase que permanentemente o que o Governo deve fazer; que fez dinheiro para a nação com a dívida externa, que multiplicou as universidades públicas federais. Este é o nosso sonho coletivo.

Fizemos a opção de sonhar coletivamente, a fim de fazer nossos sonhos tornarem-se realidade. (Sonho que se sonha só é só um sonho, só. Mas sonho que se sonha junto é realidade.) Tirando nossos sonhos e utopias da gaveta para a luz do sol e sempre ampliando nosso acervo.

Pícaro, Marina Silva pode sair do PT, e se sair, o que faremos, querido amigo? O que sempre fizemos: continuaremos sonhando, coletivamente, todo dia, no PT.

 

Um grande abraço!

Paulo Ramos (Cientista Social, estudante de pós-graduação da Universidade de Brasília e militante do PT, membro do Coletivo Estadual de Combate ao Racismo do PT/SP)

sessão tortura-depilante (ou seria depila-torturante?)

Uma dica (um conselho): NUNCA - e eu quero dizer JAMAIS - NUNCA vá fazer depilação quando estiver irritada. Você vai sentir o dobro da dor e a sua irritação vai aumentar exponencialmente a cada pelo arrancado.
E você ainda vai ter que pagar - sim, em dinheiro! - por essa tortura.
E você vai sair do salão se sentindo a mais imbecil de todas as criaturas viventes.
Vai por mim, realmente não compensa. Espera a sua onda baixar, deixa pra ir na semana seguinte! Você não merece essa situação.

Vende-se Tudo

 
 

Vende-se Tudo

No mural do colégio da minha filha

encontrei um cartaz escrito por uma mãe, avisando que estava vendendo tudo o
que ela tinha em casa, pois a família voltaria a morar nos Estados Unidos.
O cartaz dava o endereço do bazar e o horário de atendimento. Uma outra mãe,
ao meu lado, comentou:
- Que coisa triste ter que vender tudo que se tem.
- Não é não, respondi, já passei por isso e é uma lição de vida.

Morei uma época no Chile e, na hora de voltar ao Brasil, trouxe comigo
apenas umas poucas gravuras, uns livros e uns tapetes.. O resto vendi tudo, e
por tudo entenda-se: fogão, camas, louça, liquidificador, sala de jantar,
aparelho de som, tudo o que compõe uma casa.

Como eu não conhecia muita

gente na cidade, meu marido anunciou o bazar no seu local de trabalho e
esperamos sentados que alguém aparecesse. Sentados no chão. O sofá foi o
primeiro que se foi. Às vezes o interfone tocava às 11 da noite e era alguém
que tinha ouvido comentar que ali estava se vendendo uma estante.
Eu convidava pra subir e em dez minutos negociávamos um belo desconto. Além
disso, eu sempre dava um abridor de vinho ou um saleiro de brinde, e lá se
iam meus móveis e minhas bugigangas. Um troço maluco: estranhos entravam na
minha casa e desfalcavam o meu lar, que a cada dia ficava mais nu, mais sem alma.
No penúltimo dia, ficamos só com o colchão no chão, a geladeira e a tevê. No
último, só com o colchão, que o zelador comprou e, compreensivo, topou
esperar a gente ir embora antes de buscar. Ganhou de brinde os travesseiros..
 


Guardo esses últimos dias no Chile como o momento da minha vida em que
aprendi a irrelevância de quase tudo o que é material.. Nunca mais me apeguei
a nada que não tivesse valor afetivo. Deixei de lado o zelo excessivo por
coisas que foram feitas apenas para se usar, e não para se amar.

Hoje me desfaço com facilidade de objetos, enquanto que torna-se cada vez
mais difícil me afastar de pessoas que são ou foram importantes, não importa
o tempo que estiveram presentes na minha vida... Desejo para essa mulher que
está vendendo suas coisas para voltar aos Estados Unidos a mesma emoção que
tive na minha última noite no Chile. Dormimos no mesmo colchão, eu, meu marido e minha filha, que na época tinha
2 anos de idade. As roupas já estavam guardadas nas malas. Fazia muito frio.
Ao acordarmos, uma vizinha simpática nos ofereceu o café da manhã, já que
não tínhamos nem uma xícara em casa.

Fomos embora carregando apenas o que havíamos vivido, levando as emoções

todas: nenhuma recordação foi vendida ou entregue como brinde. Não pagamos
excesso de bagagem e chegamos aqui com outro tipo de leveza.

.... só possuímos na vida o que dela pudermos levar ao partir.


DESAPEGO !


Martha Medeiros

 

18/08/2009

born to be wild

A minha amiga Gabi está voando, neste momento...
Voa para realizar um grande sonho. Voa para engrandecer ainda mais a vida gigante que ela já tem.
Voa para milhares de milhas de distância, para ficar por lá por longos meses...
Vem um filminho na minha cabeça, uma sequência de cenas que talvez seja mesmo melhor comparar não com um filme, mas com uma daquelas apresentações de power point com nossas fotos, que fizemos ao longo desses mais de 7 anos de convivência... Foram tantas fotos! Foram tantos abraços! Foram tantos sorrisos e tantas lágrimas...
Quanta intensidade tem essa menininha. Ela já é uma mulher agora, mas pra mim será sempre uma menininha de pele tão branca, quase transparente... Um sentimento até maternal - talvez seja por isso que perguntam se somos irmãs (e até já perguntaram se somos mãe e filha!)
Tanta história pra contar!
Ela entrou com seu jeitinho meigo até as profundezas da minha família.
E quando me dei conta, lá estava eu, dentro da família dela. Foi ela que me levou até lá.
Ela me trouxe ternura, nos momentos em que eu fui só dureza.
Ela me trouxe bom humor e paz de espírito, nos momentos em que eu era só impaciência.
Ela me deu seu próprio exemplo de determinação e de competência, nos momentos em que eu me sentia esgotada por atribuições do dia-a-dia.
Ela sorriu pra mim, e até me fez sorrir, nos momentos em que o que eu mais precisava (e o que eu menos queria) era simplesmente... sorrir!
Insistente, persistente...
Ela me fez uma pessoa melhor. Bem melhor.Sempre soube que essa menina iria (e irá) longe.
Sinto tanto orgulho, tanta felicidade em ver que ela trilha o caminho de sucesso que constroi dia a dia, com talento e garra.
Uma criança. Uma criança gigante. Que tem tanta inocência dentro dela, e ao mesmo tempo tem tanta força.
Como pode uma pessoa mais jovem que meu irmão mais novo (aquele de quem troquei as fraldas e carreguei no colo) ter me ensinado tanto, ter tido tanta sensibilidade pra me estender a mão nos momentos em que eu mais precisava de uma mão estendida...?
Nem todos os abraços do mundo poderiam externar a ela o tamanho da minha gratidão por ela simplesmente ter se deixado fazer parte da minha vida... Talvez por isso tenhamos ficado nos despedindo muitas vezes desde que ela soube que iria embora. Foi difícil dar o último abraço, parecia que sempre era o penúltimo. Por isso o último se transformou, várias vezes, em penúltimo. Mas agora é fato... Ela voa! Abraços só no corpus christi do ano que vem!
Vai com Deus, minha amiga...
Que o Senhor ilumine cada um dos seus passos.
E que você saiba que, apesar de não estarmos tão próximas fisicamente a partir de agora, de não podermos simplesmente pegar o carro e ir ao encontro uma da outra com tanta facilidade, nem que seja só pra falar muita bobagem até tarde da noite... Apesar de não podermos simplesmente estender um colchão no quarto uma da outra, pra dormir como num acampamento, conversando as coisas mais rasas e mais profundas até dormir sem nem acompanhar onde a conversa parou... Saiba, amiga, que mesmo assim, o meu coração estará sempre com você...
Vou sentir tanta saudade...
Aproveite cada fração de segundo, pra poder me contar tudo quando voltar. Nos mínimos detalhes, gesticulando muito, daquele jeito que só você sabe fazer!
Lembre-se sempre que "We were born, born to be wild / We can climb so high / We never want to die"...
Amo você!

17/08/2009

piolho

"Eu não sou piolho pra andar pela cabeça dos outros!!"
(Prof. Valdemir Miotello, tentando nos explicar porque não devemos simplesmente ficar repetindo os pensamentos dos teóricos em vez de expor os nossos próprios)

confortável

Descreva "confortável" em uma imagem...

13/08/2009

Tips for Better Life

Take a 10-30 minutes walk every day. And while you walk, smile.
Sit in silence for at least 10 minutes each day.
Sleep for 7 hours.
Live with the 3 E’s — Energy, Enthusiasm, and Empathy.
Play more games.
Read more books than you did the previous year.
Make time to practise meditation, yoga, and prayer. They provide us with daily fuel for our busy lives.
Spend time with people over the age of 70 & under the age of 6.
Dream more while you are awake.
Eat more foods that grow on trees and plants and eat less food that is manufactured in plants.
Drink plenty of water.
Try to make at least three people smile each day.
Don’t waste your precious energy on gossip.
Forget issues of the past. Don’t remind your partner with his/her mistakes of the past. That will ruin your present happiness.
Don’t have negative thoughts or things you cannot control. Instead invest your energy in the positive present moment.
Realise that life is a school and you are here to learn. Problems are simply part of the curriculum that appear and fade away like algebra class but the lessons you learn will last a lifetime.
Eat breakfast like a king, lunch like a prince and dinner like a beggar.
Smile and laugh more.
Life is too short to waste time hating anyone. Don’t hate others.
Don’t take yourself so seriously. No one else does.
You don’t have to win every argument. Agree to disagree.
Make peace with your past so it won’t spoil the present.
Don’t compare your life to others’. You have no idea what their journey is all about. Don’t compare your partner with others.
No one is in charge of your happiness except you.
Forgive everyone for everything.
What other people think of you is none of your business.
GOD heals everything.
However good or bad a situation is, it will change.
Your job won’t take care of you when you are sick. Your friends will. Stay in touch.
Get rid of anything that isn’t useful, beautiful or joyful.
Envy is a waste of time. You already have all you need.
The best is yet to come.
No matter how you feel, get up, dress up and show up.
Do the right thing!
Call your family often.
Your inner most is always happy. So be happy.
Each day give something good to others.
Don’t over do. Keep your limits.
When you awake alive in the morning, thank GOD for it.
Don’t be more calculative in your life for all things.

mau humor

E aí, como vc tá se sentindo hoje?

12/08/2009

casillero

Tudo começou há mais de cem anos quando Don Melchor de Concha y Toro, fundador da vinha, reservava para si próprio uma parte exclusiva dos melhores vinhos produzidos por eles. E, para manter os estranhos longe desta reserva privada especial, lançou o rumor que o diabo vivia naquele lugar. Daí o nome: Casillero del Diablo ou Adega do Diabo.
Fonte: wine.com.br

impeachment

Eles sabem exatamente o que querem...

that's a very good question!!

O Pravs é o máximo.
Me manda coisas ótimas no twitter.
Como por exemplo:
"Smile is more contagious and infectious... why does it not spread more rapidly than Swine Flu?"

dia nervoso e estranho

Me sinto cansada como há muito não me sentia.
Não sei bem o que aconteceu hoje: foi um dia bem esquisito.
Começou que não dormi nada bem à noite. Acordei várias vezes, uma hora com frio, outra com dor de cabeça, outra com dor nas costas, outra meio enjoada. Isso não é normal em mim.
Enfim, depois de lutar pra sair da cama de manhã (tava um frio bom demais da conta pra continuar na cama, hoje cedo!) banho, secador etc... Tive uma manhã bem nervosa no trabalho. Chegou uma hora, perto de sair pra almoçar, que eu sinceramente tive vontade de chorar, de tão nervosa que eu estava. De repente me veio um lampejo: "talvez eu esteja na TPM!".
Aí fui almoçar com 3 amigas e isso foi bom, mas fiquei sentindo uma aperto esquisito no peito à tarde: aquela sensação que eu às vezes tenho de que algo ruim está na iminência de acontecer... Orei a Deus pra que, caso o pressentimento esteja certo, que não seja nenhum acontecimento relativo à saúde (minha e da minha família especialmente).
Meu trabalho até que rendeu hoje. Isso era pra me dar um ânimo. Mas não deu. Pensei de novo que talvez seja só TPM mesmo.
Fui à academia e senti um cansaço fora do normal. E não fiz absolutamente nada de diferente em relação aos outros dias.
Agora estou aqui escrevendo e, enquanto escrevo, sinto meus olhos pesando de sono.
Realmente tô muito esquisita hoje.
Penso se são os 34 anos que estão pesando nas minhas costas. Ou se foi a noite de sono mal dormida. Ou o reflexo do dia estressante que tive ontem (mas veja bem, por mais estressante que tenha sido o dia ontem, eu não fiquei nervosa ontem como fiquei hoje, que aparentemente não tinha motivo - ontem sim, teria motivo!). Ou se foi a noitada de ontem. Ou só TPM. Talvez nada disso. Talvez a soma de tudo isso.
Melhor dormir, que eu ganho mais.
Fui.

08/08/2009

uyyy

Tudo bem, o bate-boca foi a maior baixaria. Mas ninguém pode negar que houve uma frase genial, de verdade verdadeira:

"Você é minoria com complexo de maioria"
(Renan Calheiros, para Tasso Jereissati)

07/08/2009

pequenas mudanças de hábito

Já cheguei à conclusão de que são as pequeniníssimas mudanças de hábito que vão nos ajudando a mudar o rumo da nossa vida para a direção e o sentido que realmente queremos. Coisas que parecem bobas, mas que, por nos exercitarmos em adotá-las todo dia, nos fazem um bem danado.
Ontem, por exemplo, pela primeira vez na história deste país desde que o Partido mudou para a nova sede (e isso deve ter alguns meses! rs), pela primeira vez, ao ir ao Partido, estacionei o meu carro no estacionamento do partido. Entendem?? Os mais chegados já entenderam, com certeza.
Pois bem. Achei bem esquisito, no começo, mas depois notei que foi a atitude mais acertada que eu poderia ter tomado.
Aos poucos a gente vai abrindo os armários, tirando os fantasmas e esqueletos, sacudindo a poeira das roupas e tocando a vida adiante.
Tudo fica bem mais leve assim!!!
Desapego. É bom e precisamos lutar por ele, every single day. Para o bem de nossa sanidade mental. Amém.

os melhores amigos das mulheres

Hoje foi dia de me esbaldar com o MARAVILHOSO doce de leite de viçosa que ganhei da minha amiga Andréia. Segundo ela, esse doce de leite ganhou o prêmio de melhor doce de leite do Brasil. Bom, vocês podem imaginar, do jeito que eu AMO doce de leite, como eu me esfalfei com esse presentinho, não?
Quando a Marilyn disse que "os diamantes são os melhores amigos das mulheres", certamente ela não conhecia os doces. Os doces, esses sim, são capazes de fazer uma mulher extremamente feliz!! Delícia verdadeira!

06/08/2009

alegria

"A esperança dos bons traz alegria"
(Provérbios 10.28 - NTLH)

ipê branco

É tempo de ipê branco na minha Universidade.
Um espetáculo admirável que, por si só, já justifica muitos sorrisos no dia.
Que bênção!

05/08/2009

depende de você

Eu vi esse texto na página de recados de algum dos meus amigos, no orkut.
Não tenho a menor ideia de quem seja o autor (nem a menor vontade de pesquisar pra descobrir!!), mas achei legal e quis guardar.
Reflita!


Depende de você


A paz que você reclama e tenta encontrar... depende de você.
A compreensão que você reivindica a cada passo... depende de você.
A bondade que você admira nas pessoas... e sonha possuir... depende de você.
O diálogo, base de toda convivência... depende de você.
A abertura que é o caminho para a renovação... depende de você.
A realização que você julga essencial... depende de você.
O amor que você quer encontrar no outro... depende de você.

Pondere:
Queixar-se ou produzir, atrapalhar ou servir, desprezar ou valorizar, revoltar-se ou colaborar, adoecer ou curar-se, rebaixar-se ou abrir-se, estacionar ou progredir é uma questão de escolha.

"Depende de você".

férias a vista!

Vendo os links dos hotéis que o Ricardo da Spot me passou hoje, me deu um friozinho na barriga e uma expectativa grande pra chegarem logo as férias!
Até então eu estava animada, mas ainda sob controle... Depois de ver os hotéis, tudo mudou de figura. Comecei a imaginar tudo que vai acontecer, e me deu uma sensação gozada!
Ansiedade! Ansiedade! Ansiedade!!
Estou entrando naquela fase em que tenho vontade de dar gritinhos! rs
Vai ser duro segurar a onda até o dia do embarque.
Falta bem pouco agora!!
Nem acredito!!!

embasbaquê (em bom francês)

Gentem, tô inconformada com uma descoberta que acabei de fazer!
Passei por várias fases: primeiro fiquei chocada, depois tive uma crise de riso, depois embasbaquei, agora estou inconformada.
Tem coisas que só o orkut pra nos revelar!
hahaha
Salve-se quem puder!
rs

ideias

Todo esse terrorismo midiático sobre a gripe suína ainda vai acabar me rendendo a minha dissertação de mestrado.

esses meus amigos...

Tem situações e falas que não há como não querer guardar para a posteridade. Mesa de boteco é um lugar propício pra aparecerem pérolas.
"Você foi cantado por uma loira carioca num pub no Paraguai??"
(Fabiano, estupefacto - com razão - dirigindo-se ao Alexandre)

04/08/2009

Give it a shot

Give It A Shot


Question: There are 3 frogs on a leaf. If one of them decided to jump off the leaf into the water, how many frogs are there left on the leaf?

Answer: THREE

Why?

The frog only DECIDED to jump! It didn't!


Dreaming of a personal accomplishment, most people make the mistake of waiting...

- Waiting until they've been trained
- Waiting till someone say's they are ready
- Waiting till they have the proper tools
- Waiting till they're better
- Waiting till they're hired
- Waiting till they've been given the assignment

Ponder over this, my friends. Are you not unlike the frog; who decides to do this, decides to do that, but ended up not doing any?

In life, we have to make many decisions. Some easy; some hard. Most mistakes are not made by wrong decisions; Most mistakes are made due to our inability to take a right decision at the right time.

We have to live with the consequences of our decisions. And that is RISK.
 
Fonte: PravsWorld

03/08/2009

O mercado de trabalho no centro do projeto

 
Em artigo publicado no Portal do PT nesta quarta-feira (29), o presidente nacional do partido, deputado Ricardo Berzoini, analisa a recuperação do mercado de trabalho brasileiro para traçar as diferenças entre o modelo neoliberal, de conseqüências "nefastas" para o Brasil nos anos 90, e o projeto liderado pelo governo do presidente Lula a partir de 2003. Para Berzoini, a mudança de paradigma foi determinante para que o país não sucumbisse à atual crise econômica mundial.
 
 
O mercado de trabalho no centro do projeto

O Brasil foi um dos países que receberam as orientações no Consenso de Washington, nos anos 90. O neoliberalismo foi aplicado em larga escala, o que resultou em deformações conjunturais e estruturais graves, de nefastas consequências. A pior delas talvez tenha sido o desemprego. No início do governo Collor, que marca o aprofundamento do discurso neoliberal no Brasil, o desemprego total na região metropolitana de São Paulo era de 9,3%, segundo a pesquisa SEADE-DIEESE, cuja metodologia permite melhor aferição, em especial em relação à então metodologia do IBGE, que viria a ser mudada em 2002. Quando Itamar Franco passou a faixa presidencial a FHC, em 1995, o mesmo indicador estava em 12,1%, crescimento de 30% na taxa de desocupação. Na segunda posse do presidente tucano, o mesmo indicador já alcançava 17,8%. Ou seja, os primeiros quatro anos da gestão neoliberal demo-tucana elevou o desemprego em 47,1%. Nos seus derradeiros anos de mandato, os insatisfeitos neoliberais entregaram a Lula um desemprego de 18,6%, o que representou 53% a mais em oito anos, ou 100% em doze anos.

O desemprego não subiu por obra do acaso. Foi uma época em que autoridades diziam que a melhor política industrial é não ter política industrial e que déficits em transações correntes não fariam mal ao nosso país. Foi uma época em que as privatizações de grandes estatais era saudada com entusiasmo pelos articulistas da grande mídia. A venda da Vale, de grandes estatais do setor elétrico e de telefonia, bem como dos bancos estaduais, era justificada pela suposta incapacidade de investimento e gestão do Estado. Os recursos auferidos desapareceram no mercado financeiro, pelo pagamento de escandalosos juros que elevaram a dívida pública para quase 60% do PIB, apesar de quase US$ 100 bilhões obtidos nas privatizações. As estatais que não foram vendidas acabaram enfraquecidas por demissões e terceirização, falta de concursos públicos e de investimentos em tecnologia.

Ficou o desemprego e a desestruturação social do país.

Nessa época, eu costumava dizer em palestras e textos que o mercado de trabalho deve ser o objetivo fundamental de qualquer governo em qualquer país. A partir dele se articulam o mercado interno, o poder de compra, os ganhos de escala e os investimentos. A própria estratégia de comércio exterior deve ser vinculada à busca do fortalecimento do mercado de trabalho nacional. A política educacional e de ciência e tecnologia também devem estar alinhadas com metas de emprego e renda.

Mas, para os neoliberais, o mercado cuidaria de tudo e resolveria tudo. Essa tese seduziu muita gente, inclusive em setores da centro-esquerda mundial.

Faço essas observações para chegar a julho de 2009. Temos seis anos e sete meses de um governo que, gradual e cuidadosamente, fez e faz a transição para um novo modelo. Em seis anos, um conjunto de políticas sociais, tributárias, industriais, creditícias e de comércio exterior foi implementado. Nossas estatais foram fortalecidas. O PAC foi estruturado como indutor de investimentos públicos e privados. Entre janeiro de 2003 e janeiro de 2009, o desemprego foi reduzido de 18,6% para 12,5% (redução de 33%). Foram gerados 7.700.000 empregos formais, sem falar nas ocupações da agricultura familiar e da economia familiar urbana e outros tipos de ocupação. Cresceu o emprego formal em relação ao informal. O salário mínimo teve um aumento real (acima da inflação) de 46% desde 2003, influenciando a pirâmide salarial.

A crise financeira mundial emergiu com força, travando o crédito e o comércio mundial. Os adversários do governo Lula ficaram animados. Ora, o governo havia obtido sucesso, até então, por não ter enfrentado nenhuma crise internacional, ao contrário de FHC, que sofrera os efeitos de três delas.

Lula e seus ministros demonstraram naquele momento a maior de todas as diferenças entre os dois projetos que se sucederam na Presidência da República: Lula assumiu a postura de líder, pilotando pessoalmente as medidas de enfrentamento à crise e dirigindo-se à Nação, como quem vai à luta, não se deixando abater pela crise. Estimulou os brasileiros a continuar consumindo, dentro de suas possibilidades. Colocou os bancos públicos para compensar a covardia dos bancos privados. Orientou a Petrobrás a ampliar os investimentos do pré-sal, quando muitos diziam que o petróleo a US$ 30 inviabilizaria a exploração. Reduziu IPI, IOF e Imposto de Renda dos assalariados. Lançou, no meio da crise, um poderoso programa de habitação popular, que foi reconhecido pelos empresários e pelos movimentos sociais como a mais importante iniciativa do setor na história do Brasil.

Lula cometeu até mesmo uma pequena imprudência: disse que o tsunami seria aqui uma marolinha.

Hoje, diante dos dados de recuperação da economia e, especialmente, do emprego, já ouvi de pessoas de fora do governo, inclusive de empresários, a frase inesperada: é, Lula tinha razão.

O mercado de trabalho aponta números claros, que precisam ser registrados e destacados:

O CAGED, cadastro do Ministério do Trabalho que só registra a movimentação de empregos formais, diz que: nos doze meses encerrados em junho de 2009, 390 mil empregos formais foram acrescidos ao mercado de trabalho brasileiro. Ou seja, não perdemos um único emprego na crise, ganhamos 390 mil. Claro que a velocidade na geração de empregos está menor, mas a expectativa (torcida?) da oposição partidária e midiática era de perda de empregos.

A Pesquisa Mensal de Emprego – IBGE, em seis regiões metropolitanas que representam cerca de um terço do mercado de trabalho brasileiro: o desemprego subiu de 7,9% para 8,1% (junho 2008 x junho 2009), mas caiu ante maio 2009 (8,8% para 8,1%). O emprego formal subiu de 9.279.000 para 9.479.000 em doze meses, o que se alinha com o CAGED. O que caiu foi o emprego ou ocupação informal, o que explica o pequeno aumento do desemprego.

A Pesquisa de Emprego e Desemprego, Fundação Seade-Dieese - Região Metropolitana de São Paulo (RMSP): Em um ano, o número de empregados formais estimados pela pesquisa subiu de 4.129.000 para 4.418.000.

Diante das evidências da recuperação, os mesmos setores da oposição que vaticinaram a inevitabilidade do caos buscam discretamente mudar o mote e falam sem parar numa pretensa deterioração fiscal do governo federal. Ocultam que o governo Lula é que salvou o país do caos fiscal deixado por FHC. E que foi justamente a ação fiscal anticíclica que nos permitiu fazer frente à crise.

Ainda há muito que fazer. É necessário retomar a velocidade de geração de empregos anterior à crise. É preciso acelerar os investimentos. Mas o governo Lula nunca se afastou da idéia-força do mercado de trabalho como centro do projeto. É ele que conduz a economia. É ele que viabiliza a política.

Mas podemos dizer, sem medo de errar, que a forma corajosa e proativa de enfrentar a crise é o melhor instrumento pedagógico para demonstrar as razões do projeto democrático popular que Lula lidera, sepultando o neoliberalismo soterrado sob os escombros do muro de Wall Street.

Ricardo Berzoini é presidente nacional do PT
 
 

o tempo e as ideias

"O tempo se encarrega de completar uma ideia"

02/08/2009

Fique em paz. E reme.

"Ao Seu mandar santo e divinal,
Paz seja em vós;
Ventos e mares se aquietarão,
Paz seja em vós;
Convosco está o Senhor do mar,
Portanto deveis sem temor remar,
Pois Ele está pronto a vos salvar,
Tende paz - Tende paz;
As ondas cessam de encapelar,
Paz seja em vós."

(trecho do hino 346 CCB - Paz seja em vós)

Manjericão e molho pesto

Momento gastronômico!!
Eu adoro manjericão!
E adoro molho pesto!
Mais uma grata surpresa da minha revista para compartilhar com meus amigos, e também para armazenar no meu livrinho gastronômico virtual!!
Um dia eu vou ter minha cozinha equipada e vou preparar molho pesto e outras coisinhas gostosas pra mim e pros meus amigos queridos!


Criado na cidade italiana de Gênova, o pesto é um desses molhos que não podem faltar na geladeira: com ele, qualquer prato, quente ou frio, ganha requinte e muito sabor.

Molho Pesto Básico
preparo: 10 minutos
rendimento: 3 xícaras
Ingredientes:
150g de folha de manjericão grande
4 dentes de alho
1 xícara de pinoli
1 e 1/2 xícara de queijo parmesão (ou pecorino) ralado
2 xícaras de azeite
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Preparo:
1) No processador, coloque as folhas de manjericão, os dentes de alho, o pinoli e o queijo ralado
2) Pulse por alguns segundos ou até obter uma mistura homogênea
3) Com o aparelho ligado, adicione o azeite em fio e pulse até formar um molho espesso e homogêneo. Tempere com sal e pimenta-do-reino
4) Transfira para um pote com tampa e guarde na geladeira por até duas semanas.


A tradição ensina
No século 15, quando os marinheiros da Ligúria, na Itália, retornavam de suas viagens pelos países orientais e da África, só queriam comer vegetais frescos, como o manjericão italiano - tanto que o prato mais popular de lá é a pasta al pesto. A palavra pesto vem do termo italiano pestare, ou amassar - no ínício, os ingredientes eram amassados no pilão.

Manjericão: sabor e aroma inconfundíveis
Essa plantinha dos trópicos também é cultivada nas regiões temperadas do Mediterrâneo. São quatro as variedades - anão, roxo, gigante e italiano, ou grande, o mais indicado para o molho pesto. Todos os tipos de manjericão têm aroma fresco e penetrante. Por isso, são ótimos para finalizar os pratos, estimulando o apetite. Eles combinam bem com alho, queijos, ovos, peixes, tomate, carnes e massas. Servem ainda para dar sabor a vinagres, óleos e azeites aromáticos.

Fonte: Claudia Comida & Bebida (agosto de 2009)

01/08/2009

antídoto

"O problema é que sou alérgica a solidão... E os homens, por mais venenosos que sejam, são o único antídoto que consegui encontrar!"
(outra fala ótima da peça In On It, que acabei de me lembrar e que não poderia me furtar de registrar aqui, de jeito maneira!!)

Miedo

Uma das músicas lindas do meu CD lindo (Acústico do lindo do Lenine) que ganhei da minha amiga linda Fulvia, no meu niver.
Essa música faz a gente pensar em tanta coisa junta! E em tanta coisa separada... rs
Ela faz a gente se sentir medrosa e ao mesmo tempo tão corajosa...
É o tipo de música que a gente nunca se cansa de ouvir, porque é bastante complexa.
Enfim...
Gostei dela e tô botando aqui!
Enjoy!


Miedo
(Pedro Guerra / Lenine / Rodney Assis)

TIENEN MIEDO DEL AMOR Y NO SABER AMAR
TIENEN MIEDO DE LA SOMBRA Y MIEDO DE LA LUZ
TIENEN MIEDO DE PEDIR Y MIEDO DE CALLAR
MIEDO QUE DA MIEDO DEL MIEDO QUE DA

TIENEN MIEDO DE SUBIR Y MIEDO DE BAJAR
TIENEN MIEDO DE LA NOCHE Y MIEDO DEL AZUL
TIENEN MIEDO DE ESCUPIR Y MIEDO DE AGUANTAR
MIEDO QUE DA MIEDO DEL MIEDO QUE DA

EL MIEDO ES UNA SOMBRA QUE EL TEMOR NO ESQUIVA
EL MIEDO ES UNA TRAMPA QUE ATRAPÓ AL AMOR
EL MIEDO ES LA PALANCA QUE APAGÓ LA VIDA
EL MIEDO ES UNA GRIETA QUE AGRANDÓ EL DOLOR

TÊM MEDO DE GENTE E DE SOLIDÃO
TÊM MEDO DA VIDA E MEDO DE MORRER
TÊM MEDO DE FICAR E MEDO DE ESCAPULIR
MEDO QUE DÁ MEDO DO MEDO QUE DÁ

TÊM MEDO DE ASCENDER E MEDO DE APAGAR
TÊM MEDO DE ESPERAR E MEDO DE PARTIR
TÊM MEDO DE CORRER E MEDO DE CAIR
MEDO QUE DÁ MEDO DO MEDO QUE DÁ

O MEDO É UMA LINHA QUE SEPARA O MUNDO
O MEDO É UMA CASA AONDE NINGUÉM VAI
O MEDO É COMO UM LAÇO QUE SE APERTA EM NÓS
O MEDO É UMA FORÇA QUE NÃO ME DEIXA ANDAR


TIENEN MIEDO DE REIR Y MIEDO DE LLORAR
TIENEN MIEDO DE ENCONTRARSE Y MIEDO DE NO SER
TIENEN MIEDO DE DECIR Y MIEDO DE ESCUCHAR
MIEDO QUE DA MIEDO DEL MIEDO QUE DA

TÊM MEDO DE PARAR E MEDO DE AVANÇAR
TÊM MEDO DE AMARRAR E MEDO DE QUEBRAR
TÊM MEDO DE EXIGIR E MEDO DE DEIXAR
MEDO QUE DÁ MEDO DO MEDO QUE DÁ

O MEDO É UMA SOMBRA QUE O TEMOR NAO DESVIA
O MEDO É UMA ARMADILHA QUE PEGOU O AMOR
O MEDO É UMA CHAVE QUE APAGOU A VIDA
O MEDO É UMA BRECHA QUE FEZ CRESCER A DOR

EL MIEDO ES UNA RAYA QUE SEPARA EL MUNDO
EL MIEDO ES UNA CASA DONDE NADIE VA
EL MIEDO ES COMO UN LAZO QUE SE APRIETA EN NUDO
EL MIEDO ES UNA FUERZA QUE ME IMPIDE ANDAR

MEDO DE OLHAR NO FUNDO
MEDO DE DOBRAR A ESQUINA
MEDO DE FICAR NO ESCURO
DE PASSAR EM BRANCO DE CRUZAR A LINHA
MEDO DE SE ACHAR SOZINHO
DE PERDER A RÉDEA A POSE E O PRUMO
MEDO DE PEDIR ARRÊGO MEDO DE VAGAR SEM RUMO

MEDO ESTAMPADO NA CARA
OU ESCONDIDO NO PORÂO
MEDO CIRCULANDO NAS VEIAS
OU EM ROTA DE COLISÂO
MEDO É DE DEUS OU DO DEMO?
É ORDEM OU É CONFUSÂO?
O MEDO É MEDONHO
O MEDO DOMINA
O MEDO É A MEDIDA DA INDECISÂO

MEDO DE FECHAR A CARA MEDO DE ENCARAR
MEDO DE CALAR A BOCA MEDO DE ESCUTAR
MEDO DE PASSAR A PERNA MEDO DE CAIR
MEDO DE FAZER DE CONTA MEDO DE ILUDIR

MEDO DE SE ARREPENDER
MEDO DE DEIXAR POR FAZER
MEDO DE AMARGURAR PELO QUE NÂO SE FEZ
MEDO DE PERDER A VEZ
MEDO DE FUGIR DA RAIA NA HORA H
MEDO DE MORRER NA PRAIA DEPOIS DE BEBER O MAR
MEDO QUE DÁ MEDO DO MEDO QUE DÁ